Arquivo da tag: assistência

11 coisas que devem ser lembradas durante a aspiração de vias aéreas

Lembretes durante a aspiração de vias aéreas

Então, você já leu dezenas de vezes sobre aspiração. Ouviu seu professor discutir sobre isso durante as aulas teóricas e práticas, mas você realmente lembraria de todo esse aprendizado quando tivesse que realizar o procedimento pela primeira vez (com toda a ansiedade e nervosismo)?

Listamos abaixo algumas das coisas que você deve ter em mente quando realizar uma aspiração, quer seja pela primeira ou enésima vez. Continuar lendo 11 coisas que devem ser lembradas durante a aspiração de vias aéreas

Sondagem nasogástrica: O Que Fazer?

A sondagem nasogástrica (atualmente denominado cateterismo nasogástrico) é um dos procedimentos de enfermagem mais comumente realizados durante a assistência. Quer seja em unidades de emergência, teria intensiva ou clínicas médico-cirúrgicas, a realização desse procedimento requer conhecimento teórico e habilidades práticas.

É de grande importância que o procedimento seja realizado de forma segura, atentando-se para a resposta do paciente e sinais de complicações, tais como tosse ou cianose. Confira abaixo o passo-a-passo do procedimento e algumas dicas práticas a serem utilizadas no dia-a-dia. Continuar lendo Sondagem nasogástrica: O Que Fazer?

Gasometria arterial: o que devemos saber

A gasometria arterial avalia a troca gasosa, através da medida das pressões parciais de oxigênio (PaO2) e dióxido de carbono (PaCO2), assim como o pH de uma amostra arterial. Comumente utilizado, tal procedimento requer uma série de cuidados prévios que vão desde a escolha do melhor local, até a avaliação clínica do paciente e verificação de medicamentos de uso habitual da pessoa, os quais possam vir a causar sangramentos. Tais cuidados acabam sendo essenciais para que não ocorram uma série de complicações advindas não só da técnica de punção utilizada, bem como das próprias condições clínicas do paciente.

Continuar lendo Gasometria arterial: o que devemos saber

Administração de medicamentos: quais não devem ser maceradas?

Algumas apresentações de medicamentos administrados via oral não devem ser macerados. Tais apresentações são especialmente formuladas para liberar os seus compostos farmacológicos gradualmente no decorrer das horas. E com qual finalidade? Proteger os princípios ativos do pH baixo do estômago, bem como proteger a mucosa gástrica dos efeitos irritantes que algumas drogas possuem. Continuar lendo Administração de medicamentos: quais não devem ser maceradas?

Estetoscópio óptico: Como não ansiar por um desses?

Imaginem o cenário: uma situação de emergência em uma sala com um barulho daqueles. Já pensou na dificuldade de se fazer uma boa ausculta nesse tipo de situação?

Então, caros colegas, eu vos pergunto: Já imaginaram um estetoscópio que indicasse visualmente aquilo que você ouve através do seu estetoscópio? Um estetoscópio que te mostrasse até mesmo um traçado de ECG durante a ausculta cardíaca? Continuar lendo Estetoscópio óptico: Como não ansiar por um desses?

Mnemônico para abordagem do paciente crítico: FAST HUG

O mnemônico Fast Hug (as iniciais se referem à alimentação – em inglês, Feeding; Analgesia; Sedação; profilaxia Tromboembólica; elevação da cabeceira  – em inglês, Head of bed elevation; profilaxia da Úlcera de estresse e controle da Glicemia)  corresponde a um meio de identificação e verificação de alguns dos aspectos-chave no atendimento geral de todos os pacientes criticamente enfermos.

Pode ser aplicado em todos os pacientes de qualquer unidade de terapia intensiva (UTI), a qualquer momento. A prática dessa estratégia simples incentiva o trabalho em equipe e pode auxiliar o aprioramento da qualidade da assistência dos pacientes com doença grave. Continuar lendo Mnemônico para abordagem do paciente crítico: FAST HUG

Plano de cuidados de Enfermagem: Angina

Fonte: Incheon Cardiovascular Cluster

Angina é uma dor no peito, de caráter temporário, resultante do fluxo inadequado de oxigênio para o miocárdio. É geralmente descrita como uma “ardência”, “aperto” ou uma sensação de opressão na região subesternal ou precordial. Esta dor pode irradiar para o braço esquerdo, pescoço, mandíbula ou escápula. Normalmente o paciente fecha a mão sobre o peito ou esfrega o braço esquerdo ao descrever a dor, que também pode ser acompanhada por náuseas, vômitos, desmaios, sudorese e extremidades frias.

Continuar lendo Plano de cuidados de Enfermagem: Angina