Arquivo da tag: dicas

11 coisas que devem ser lembradas durante a aspiração de vias aéreas

Lembretes durante a aspiração de vias aéreas

Então, você já leu dezenas de vezes sobre aspiração. Ouviu seu professor discutir sobre isso durante as aulas teóricas e práticas, mas você realmente lembraria de todo esse aprendizado quando tivesse que realizar o procedimento pela primeira vez (com toda a ansiedade e nervosismo)?

Listamos abaixo algumas das coisas que você deve ter em mente quando realizar uma aspiração, quer seja pela primeira ou enésima vez. Continuar lendo 11 coisas que devem ser lembradas durante a aspiração de vias aéreas

(10 dicas de) Como não estourar uma veia

Fonte: RedOrbit.com

Enquanto profissional de Enfermagem, não importa o quão bom você se considera em punção venosa, sempre existirá uma ocasião na qual você encontra dificuldades em estabelecer um bom acesso venoso. Se você está instalando uma linha EV ou fazendo coletas de sangue, “estourar” uma veia deve ser a última coisa que você deseja. Uma “veia estourada” significa basicamente que a agulha do dispositivo EV foi inserida muito profundamente, perfurando a veia em ambos os lados (a famosa transfixação da veia) e, potencialmente levando à infiltração ou extravasamento.

Uma veia estourada não só causa desconforto para o paciente, mas também a interrupção da produtividade do profissional de enfermagem. Este guia detalha tudo o que precisamos saber para evitar que as veias estourem e assegurar a inserção bem sucedida de um dispositivo EV. Continuar lendo (10 dicas de) Como não estourar uma veia

Concursando: Video-aula de diluição e rediluição de penicilina cristalina

Video-aula com dicas do Prof. Cassio Rossi (do site Concurseiros da Enfermagem) para cálculos de diluição e rediluição de Penicilina G (cristalina) em provas de concursos (e de seleção profissional também, convenhamos).

Serie ‘O Que Fazer?’ – Abordagem ao paciente dispneico

Um pouco de teoria

Dispneia é a sensação de falta de ar, com respiração difícil ou desconfortável, sendo um dos mais significativos sintomas da insuficiência respiratória (IR). No atendimento às urgências e emergências, a insuficiência respiratória sobressai como um agravo que requer cuidado especial em face de sua gravidade. Na IR o sistema respiratório mostra-se incapaz de manter as trocas gasosas adequadas, o que resulta na dificuldade em captar e transportar o oxigênio (O2), ou, ainda, eliminar gás carbônico (CO2).

Continuar lendo Serie ‘O Que Fazer?’ – Abordagem ao paciente dispneico