FDA aprova o Truvada, primeiro medicamento para prevenção do HIV

Pela primeira vez, o FDA aprovou um medicamento para a prevenção do HIV (vírus da imunodeficiência adquirida ou AIDS). O Truvada está indicado para adultos soronegativos, mas que estão em risco de infecção. O medicamento deve ser tomado uma vez ao dia e usado em combinação com práticas de sexo seguro para reduzir a transmissão sexual do HIV.

Em dois grandes ensaios clínicos, o uso diário de Truvada reduziu significativamente o risco de infecção por HIV. A redução foi de 42% em um estudo patrocinado pelo National Institutes of Health (NIH), em cerca de 2.500 homens soronegativos homossexuais ou bissexuais e mulheres transexuais, e de 75 % em um outro estudo patrocinado pela Universidade de Washington, em cerca de 4.800 casais heterossexuais em que um parceiro era HIV positivo e o outro não.

Debra Birnkrant, diretora da Divisão de Produtos Antivirais do FDA, explica que o Truvada previne o estabelecimento e multiplicação do HIV no organismo. Ela observa que, enquanto este é um novo uso aprovado, Truvada não é um novo produto. Ele foi aprovado pelo FDA em 2004 para uso em combinação com outros medicamentos para tratar adultos infectados pelo HIV e crianças com mais de 12 anos.

Birnkrant salienta que o Truvada é para ser usado como parte de um plano abrangente de prevenção do HIV, o qual inclui o uso consistente e correto de preservativo, aconselhamento para redução de risco, testes regulares de HIV e o tratamento de outras infecções sexualmente transmissíveis.

O Truvada é produzido pela Gilead Sciences Inc., sendo uma combinação de dois medicamentos antiretrovirais usados para tratar o HIV (200 miligramas de emtricitabina e 300 mg de tenofovir disoproxil fumarato).

Antes que o Truvada seja prescrito, são necessárias avaliações de vários fatores, tais como sorologia negativa para o HIV, sinais e sintomas gripais não podem estar presentes, já que podem indicar o início da infecção pelo HIV, mesmo com testes negativos, dentre outros.

As preocupações de segurança ligadas ao Truvada incluem efeitos sobre ossos e rins. As pessoas com história de doenças ósseas ou renais devem ser regularmente monitorizadas.

Recomenda-se que a pessoa seja testada para a hepatite B, porque o agravamento de infecções de hepatite B tem sido relatado naqueles que têm HIV-1 e hepatite B, quando o tratamento com Truvada é interrompido.

Fonte: FDA

NEWS.MED.BR, 2012. FDA aprova o Truvada, primeiro medicamento para prevenção do HIV. Acesso em: 7 mar. 2013.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s