399px-ICU_IV_1

(10 dicas de) Como não estourar uma veia

Fonte: RedOrbit.com

Enquanto profissional de Enfermagem, não importa o quão bom você se considera em punção venosa, sempre existirá uma ocasião na qual você encontra dificuldades em estabelecer um bom acesso venoso. Se você está instalando uma linha EV ou fazendo coletas de sangue, “estourar” uma veia deve ser a última coisa que você deseja. Uma “veia estourada” significa basicamente que a agulha do dispositivo EV foi inserida muito profundamente, perfurando a veia em ambos os lados (a famosa transfixação da veia) e, potencialmente levando à infiltração ou extravasamento.

Uma veia estourada não só causa desconforto para o paciente, mas também a interrupção da produtividade do profissional de enfermagem. Este guia detalha tudo o que precisamos saber para evitar que as veias estourem e assegurar a inserção bem sucedida de um dispositivo EV.

Por que as veias estouram?

Há muitas causas possíveis para que as veias estourem durante uma rotineira inserção de cateter EV. Aqui está uma lista das possíveis razões:

Veias frágeis
Algumas pessoas nascem com as paredes das veias fracas. Existem também alguns grupos etários específicos, que são mais propensos a apresentar veias frágeis. Os pacientes idosos, por exemplo, normalmente tem as paredes das veias fracas devido à degeneração dos tecidos conjuntivos relacionada à idade. Os pacientes pediátricos também podem ter paredes das veias fracas, tendo em vista que suas veias ainda são muito pequenas.

Veias móveis
Existem algumas pessoas que possuem veias que são altamente móveis (comumente chamadas “veias bailarinas”), especialmente quando você tenta puncioná-las. Normalmente, a veia cefálica é a mais móvel que você vai encontrar. A rede venosa dorsal das mãos da maioria dos pacientes geriátricos também é grossa e móvel.

Cateter com calibre muito grande
Um cateter de grande diâmetro, quando utilizado em uma pequena veia, causará colapso venoso. É importante avaliar corretamente em primeiro lugar se o cateter EV que pretende usar é adequado para a veia do paciente.

Você está pronto para turbinar suas habilidades de punção venosa? Abaixo está uma lista das 10 dicas mais úteis para que você evite estourar uma veia.

1. Avalie. Sinta as veias

Não basta olhar para uma veia. Em vez disso, tente palpar a área na qual você está procurando uma veia. É importante palpar usando as polpas digitais do indicador e o terceiro dedo para avaliar a capacidade de resistência da veia, a permeabilidade, válvulas e tamanho. Verifique se a veia é reta, suave e grande o suficiente para acomodar o cateter necessário para a terapia EV. Prefira sempre a veia mais reta. Para pacientes geriátricos, uma veia profunda pode ser menos propensa a estourar, uma vez que são mais estabilizadas e menos móveis.

2. Escolha o tamanho certo

Esse tópico diz respeito ao dispositivo EV utilizado. Se você não precisa de infundir grandes volumes de líquido ou se a transfusão de sangue não é necessária, basta usar um cateter pequeno.

Portanto, a dica de ouro é: se possível (e se não for contra-indicado), tente usar tamanhos menores. Para os adultos, um dispositivo G-22 (Jelco™ ou Abocath™ nº 22, por exemplo) é comumente utilizado com sucesso. No caso de pacientes pediátricos, os dispositivos G-22, G-24 e G-26 são utilizados de forma satisfatória.

3. Verifique a aplicação do garrote (ou torniquete)

Um garrote/torniquete muito apertado ou muito solto pode fazer com que as veias não se distendam e até mesmo interromper a circulação arterial. Um manguito de esfigmomanômetro pode ser usado como um torniquete quando se lida com veias muito frágeis de pacientes idosos e em tratamento de quimioterapia.

4. Confira o bisel. Certifique-se de que ele está virado para cima

Esta técnica é feita para se certificar de que você não vai estourar uma veia ao avançar com a agulha. Além disso, você pode controlar melhor o ângulo de inserção quando o bisel está voltado para cima.

5. Use compressas quentes se o braço estiver frio

Isso ajuda a dilatar os vasos sanguíneos, fazendo com que elas apareçam rapidamente. Panos quentes ou um cobertor podem ser usados se as compressas quentes não estiverem disponíveis.

6. Fixe a veia

Isso é para evitar que uma veia instável se desloque lateralmente quando você perfurá-la. Isto pode ser feito segurando a pele esticada e a veia com a mão não-dominante.

7. Acerte o ângulo e insira o cateter diretamente no topo da veia

Ajuste o seu ângulo de inserção de acordo com a veia que você escolheu, se é muito superficial ou muito profunda. Normalmente, você pode fazer a inserção em um ângulo de 15 a 30 graus. Em seguida, insira o cateter em cima da veia e diminua o ângulo para reduzir as chances de atravessar as duas paredes da veia. Faça a inserção lentamente mas de forma constante.

8. Puxe um pouco a agulha antes de inserir todo o cateter

A agulha vai servir como um fio-guia enquanto você empurra o cateter dentro da veia. Você precisa puxar a agulha de modo que haverá menos chances de punção da outra parede da veia à medida que avançar o cateter.

9. Ao puncionar uma veia e vendo retorno de sangue, pare o avanço do cateter e diminua o ângulo.

Isto é para evitar a perfuração da parede da veia novamente. Solte o torniquete em primeiro lugar. Diminua o seu ângulo de inserção à medida que avança o cateter um pouco mais. Em seguida, puxe de volta a agulha um pouco antes de avançar todo o cateter. Quando tiver inserido com sucesso o cateter, puxe a agulha rapidamente para conectar o equipo (ou Polifix™ ou “torneira” de três vias) e inicie a perfusão EV com as primeiras gotas gotejando muito lentamente.

10. Use dispositivos de visualização disponíveis

Isso pode incluir luzes transiluminadoras, ultrassom de bolso ou qualquer um veinscanner (já falamos sobre esses dispositivos aqui no blog). Estes dispositivos irão mostrar os caminhos da veia para que você possa acompanhar a direção de onde deve inserir o cateter EV.

Para fechar o post, assista a esse video sobre punção venosa. Eu sei, o video está em Inglês! Se você não está familiarizado com essa língua, clique em “Legendas automáticas” e depois mude a configuração das legendas para o Português.

Fontes: NursingCrib e NurseBuff

Siga-nos no Bloglovin’
Siga-nos no Bloglovin’

22 opiniões sobre “(10 dicas de) Como não estourar uma veia”

  1. Estamos lançando um produto que vai acabar com a perda do catéter. Produto Inovador. Gostaria de apresentar aos profissionais. Com quem faço contato?
    Meu nome é Fernando Carvalho e meu telefone é 21 4124 5383

    Curtir

    1. Olá, Fernando Carvalho!
      Estamos abertos a divulgação de produtos realmente inovadores e que contribuam para o avanço da assistência ao paciente. Para que possamos estabelecer uma comunicação efetiva, por favor envie-nos um e-mail através do menu ‘Contato’, localizado na barra lateral esquerda da nossa página.
      Sucesso!

      Curtir

    1. Olá, Liliani!
      Que bom que você identificou os pontos negativos da técnica apresentada no video! Ficamos felizes ao ver profissionais/estudantes de enfermagem com senso crítico! Obrigado pela colaboração! Continue acompanhando as nossas atualizações!

      Curtir

    1. Infelizmente, no vídeo, é possível ver a profissional mascando chiclete durante o atendimento. Conduta lamentável! Muita gente pede que postemos vídeos, mas a dificuldade de encontrar vídeos que não tenham erros gritantes (ou “mascantes”, como no caso desse vídeo) é imensa!
      O nosso blog não aprova tal conduta e incentiva uma postura ética em todos os momentos de assistência. Apesar do vídeo não ser de nossa autoria, pedimos desculpas pelo erro encontrado. Da até uma sensação de vergonha alheia, concorda?
      Obrigado pelo comentário e por acessar o nosso blog!

      Curtir

  2. Boa noite so para informação, pode ate esta contaminado a fita mas não esta em contado com a abertura da agulha a te porque esta com Fixador de Cateter Periférico Tegaderm.. então não tem risco de contaminção ok..

    Curtir

    1. Olá, Vitória!

      O ideal é que você procure outro lugar para realizar a punção, a fim de que haja uma recuperação do epitélio do vaso sanguíneo. Se quiser seguir na mesma veia, puncione sempre um pouco acima do local onde você puncionou primeiro.

      Espero ter sanado sua dúvida!
      Obrigado pelo contato e continue acompanhando os nossos posts!

      Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s