Imagem: iStudentNurse

11 coisas que devem ser lembradas durante a aspiração de vias aéreas

Lembretes durante a aspiração de vias aéreas

Então, você já leu dezenas de vezes sobre aspiração. Ouviu seu professor discutir sobre isso durante as aulas teóricas e práticas, mas você realmente lembraria de todo esse aprendizado quando tivesse que realizar o procedimento pela primeira vez (com toda a ansiedade e nervosismo)?

Listamos abaixo algumas das coisas que você deve ter em mente quando realizar uma aspiração, quer seja pela primeira ou enésima vez.

  • Mantenha todo o equipamento necessário à mão: aspirador (ou rede de vácuo), cateter de aspiração, frasco para aspiração, solução para irrigação (se necessário e/ou indicado). É claro que você não vai querer perceber que não trouxe a solução para irrigação depois de estar paramentado e quando o procedimento é urgentemente necessário.
  • Lave as mãos antes e depois do procedimento. Como sempre, use técnica asséptica. Também não esqueça dos EPIs (equipamentos de proteção individual), como luvas, máscara e óculos.
  • Você pode repetir esse procedimento. Tenha em mente que a aspiração não é um procedimento que só pode ser realizado uma única vez. Você pode repetir a aspiração sempre que necessário, deixando que o paciente ventile um pouco antes de começar uma nova etapa.
  • O paciente deve estar com o decúbito elevado durante a aspiração.
  • A tosse é normal. Não entre em pânico e chame o médico e o resto da equipe de saúde quando o paciente tossir durante a aspiração. Quando o cateter entra nas vias aéreas, o paciente tosse e você pode sentir uma certa resistência em algum momento.
  • Hiperoxigene o paciente antes e depois da aspiração. Caso o paciente esteja consciente, peça-o que respire profundamente, várias vezes, antes de aspirar.
  • Verifique a frequência cardíaca e a saturação de oxigênio (SpO2) antes, durante e depois do procedimento. Se o paciente estiver taquicárdico ou bradicárdico, descontinue o procedimento até que a frequência volte ao normal. Da mesma maneira, se o paciente estiver dessaturando gravemente, interrompa a aspiração, ventile o paciente e espere que os valores da SpO2 voltem ao normal.
  • Você pode lubrificar a ponta do cateter de aspiração quando realizar aspiração nasal em pacientes conscientes.
  • Quando estiver removendo o cateter, aplique sucção intermitente e retire o cateter realizando movimentos circulares suaves. A sucção não deve ser aplicada por mais que 15 segundos.
  • Após finalizar o procedimento, jogue o cateter no lixo contaminante. Não deixe o cateter pendurado em algum lugar na unidade do paciente, ainda que “protegido”. A única exceção é o cateter do sistema fechado de aspiração (free trachea, spiratech, trach-care), que pode ser mantido por 24-72 horas.
  • Realize ausculta pulmonar. Se algum ruído adventício relacionado à secreção ainda for ouvido, repita a aspiração.

Todo profissional de enfermagem, não importa o quão experiente e habilidoso seja, sempre tem a sua primeira vez. É normal se sentir nervoso ou em pânico durante a primeira vez que realiza um procedimento, talvez você até esqueça alguns conceitos aprendidos. O que é imperativo é que você lembre dos pontos principais quando realizar uma aspiração. Dessa maneira você não somente saberá o que fazer, como também salvará o paciente de danos potenciais.


Fonte (conteúdo traduzido e adaptado): Nursing Crib.

Leitura adicional:

26 opiniões sobre “11 coisas que devem ser lembradas durante a aspiração de vias aéreas”

    1. Olá, Bruna!

      Houve um erro de digitação no post. Onde lia-se “sem realizar movimentos circulares”, deveria-se ler “sem esquecer de realizar movimentos circulares”.
      O texto foi editado e a informação retificada: “realizando movimentos circulares suaves”.
      Abraço!

      Curtir

      1. Mas movimentos circulares não fazem diferença, pega um tubo orotraqueal e uma sonda, introduza a sonda até a ponta distal do tubo e tente fazer movimentos circulares, é o mesmo que nada, trata-se de evidência científica.

        Curtir

      2. Olá, Maria Gabriela!

        A proposta desse post não foi expor todos os passos da aspiração de vias aéreas. Abordamos apenas 11 pontos relevantes que devem ser observados durante o procedimento.

        No entanto, um dos pontos explicados no texto aborda o seguinte: “Quando estiver removendo o cateter, aplique sucção intermitente e retire o cateter realizando movimentos circulares suaves”.

        A sucção intermitente é feita através do pinçamento da extensão de látex (ou liberação da válvula do próprio cateter de aspiração). Portanto, mesmo não se propondo a explicar todas as minúcias da aspiração, o post aborda o pinçamento do cateter.

        Muito obrigado pela sua contribuição e comentário!
        Continue acompanhando as novidades do blog!

        Curtir

  1. Quando vc diz: ” Você pode usar um lubrificante”, que lubrificante é o mais aconselhável? Em pediatria este procedimento é muito corriqueiro principalmente nessa época…

    Curtir

    1. Olá, Luciana!

      Qualquer lubrificante à base d’água. É muito comum usarmos a Xylocaína gel 2% (lubrifica e reduz o desconforto na inserção do cateter), com o cuidado de averiguar se o paciente é alérgico a algum componente da formulação.

      Abraço!

      Curtir

    1. Olá, Edna!

      A técnica para aspiração de orofaringe, nasofaringe e endotraqueal, consta na grade curricular dos Cursos Técnicos de Nível Médio para formação de Auxiliares e Técnicos de Enfermagem, assim como nos Cursos de Graduação em Enfermagem. A competência técnica para a execução destes procedimentos reside na formação e qualificação profissional e o respaldo profissional está estabelecido na Lei do Exercício Profissional de Enfermagem.

      O COREN-SP emitiu parecer sobre o assunto, posicionando-se da seguinte maneira:
      “Ao Auxiliar ou Técnico de Enfermagem devidamente capacitado e supervisionado pelo Enfermeiro, poderá ser delegada a realização de aspiração endotraqueal através de cânula de entubação ou cânula traqueal, em pacientes sob ventilação mecânica ou não, considerados estáveis. Pacientes graves e com risco de morte devem ser assistidos pelo Enfermeiro, portanto, somente este profissional poderá realizar a aspiração, excetuando-se situações de urgência e emergência.”

      Portanto, o técnico de enfermagem pode, sim, realizar a aspiração, desde que observado o nível de complexidade do estado de saúde do paciente.

      Obrigado pelo comentário!
      Continue acompanhando as novidades do blog.

      Curtir

    1. Olá, Adriano!

      Fico feliz que você tenha gostado do blog! A nossa proposta é divulgar conhecimento e ajudar no processo constante de educação e aperfeiçoamento.

      Muito obrigado pela sua contribuição e comentário!
      Continue acompanhando as novidades do blog!

      Curtir

    1. Olá, Luciana!

      Fico feliz que você tenha gostado do blog! A nossa proposta é divulgar conhecimento e ajudar no processo constante de educação e aperfeiçoamento.

      Muito obrigado pela sua contribuição e comentário!
      Continue acompanhando as novidades do blog!

      Curtir

  2. Olá, parabéns pelo post. Gostaria de um esclarecimento: essa supervisão do enfermeiro pode ser à distância, no caso de regime de home care, com pacientes de alta complexidade (ventilação mecânica domiciliar). Não é de meu conhecimento que qualquer serviço de home care tenha visita de enfermeiro diariamente (em geral as visitas são semanais). Obrigada.

    Curtir

    1. Olá, Alexandra!

      De acordo com o artigo 15 da Lei nº 7.498/86 c/c artigo 13 do Decreto nº 94.406/87, as atividades do auxiliar e técnico de enfermagem só podem ser exercidas sob a supervisão e orientação do enfermeiro. Por meio do Parecer nº 12/2014 da CTLN (Comissão Técnica de Legislação e Normas), o COFEN fala apenas sobre a necessidade de se ter um enfermeiro Responsável Técnico para realizar essa supervisão. Não encontrei nenhum precedente legal sobre as visitas dos enfermeiros e sua supervisão imediata dos profissionais auxiliares e técnicos de enfermagem. Seria impraticável manter um enfermeiro junto com cada auxiliar/técnico nas casas de todos os pacientes. A Responsabilidade Técnica assumida por um enfermeiro é considerada a “supervisão” necessária para se fazer cumprir o disposto pelas leis.

      Muito obrigado pela pergunta tão pertinente! Continue acompanhando o nosso blog!

      Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s